Câmara dos Deputados Câmara dos Deputados

Câmara premia profissionais e instituições dedicados à saúde mental inclusiva

Gustavo Sales/Câmara dos Deputados Equipe do Hospital Severino Lopes, um dos agraciados com o Prêmio Nise da Silveira A Câmara dos Deputados entr...

20/10/2021 15h25
8
Por: Redação Fonte: Agência Câmara de Notícias
Equipe do Hospital Severino Lopes, um dos agraciados com o Prêmio Nise da Silveira - (Foto: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados)
Equipe do Hospital Severino Lopes, um dos agraciados com o Prêmio Nise da Silveira - (Foto: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados)

A Câmara dos Deputados entregou, nesta quarta-feira (20), o Prêmio Nise da Silveira de Boas Práticas e Inclusão em Saúde Mental a cinco instituições que dedicam sua existência a tratar doentes mentais e também contribuem na política de cuidado às pessoas em sofrimento psíquico e vulnerabilidade.

Nise da Silveira foi uma psiquiatra alagoana reconhecida no mundo todo pela contribuição ao tratamento da saúde mental e aos cuidados com o paciente.

Entre os agraciados de 2021 está o Hospital Psiquiátrico Professor Severino Lopes, de Natal (RN), uma entidade beneficente que atende dependentes químicos com internação hospitalar em situações de crise aguda. Na solenidade virtual, o prêmio foi recebido pelo médico Edson Gutemberg de Souza, que estava cercado pela equipe técnica do hospital.

“Nossa instituição se sente muito orgulhosa. Sessenta e cinco anos prestando serviço ao Rio Grande do Norte, apesar das dificuldades e dos momentos difíceis que atravessamos. Mas, para nós, a gente, parodiando o poeta português, vale a pena: Tudo vale a pena se a alma não é pequena. E para gente, tudo vale a pena se a gente faz por amor e no interesse maior dos nossos pacientes.”

Apoio às famílias
Outra entidade premiada, a Âncora traz em seu nome sua abrangência. Ela se chama Associação de Pessoas com Transtornos Mentais, Seus Familiares, Cuidadores e Pessoas Interessadas em Saúde Mental no Estado do Piauí, uma associação sem fins lucrativos que, desde 2001, presta serviços na defesa dos direitos das pessoas com sofrimento psíquico e estimula políticas públicas na área de saúde mental e no fortalecimento dos usuários e familiares.

A representante da Âncora, Thais de Andrade Alves Guimarães, ressaltou a importância do prêmio. “As associações de saúde mental são esquecidas, silenciadas, e negligenciadas pela sociedade. Pela saúde mental de um país que pede socorro, que sofre e que se agrava com a pandemia. Falamos aqui por todos os usuários que estão aptos para trabalhar e não conseguem inserção no mercado de trabalho devido ao estigma e preconceito. Falamos também por todos os familiares que sabem que tratar em liberdade é o melhor remédio”, afirmou Thais.

Também premiado, o psiquiatra e psicanalista Evaldo Melo de Oliveira implantou em todos os distritos sanitários de Recife (PE) uma rede de atenção às pessoas com problemas decorrentes do uso de álcool e outras drogas.

“Somos de uma geração que batalhou pela reforma psiquiátrica, pela luta antimanicomial. Temos o dever de sermos a voz dos silenciados pela exclusão e preconceito”, disse.

Também recebeu o prêmio o Hospital Mahatma Gandhi, de Catanduva (SP), fundado há 50 anos e que atende pacientes com doença mental de 102 municípios da região. O psiquiatra alagoano Rostan Silvestre da Silva foi outro agraciado, pela dedicação na psiquiatria e psicoterapia individual e em grupo.

Marília Arraes:
Marília Arraes: "Que vocês possam ensinar às próximas gerações valores de humanidade, solidariedade e empatia - (Foto: Gustavo Sales/Câmara dos Deputados)

Pacientes e clientes
Os cinco diplomas foram entregues pela segunda-secretária da Câmara, deputada Marília Arraes (PT-PE).

“Eu gostaria de parabenizar a todos os agraciados pelo recebimento do prêmio Doutora Nise da Silveira, que é muito justo pelo reconhecimento do trabalho importantíssimo que os senhores desenvolvem para proporcionar qualidade de vida, dignidade para a pessoa humana e transformar a vida das famílias dessas pessoas que passam pelas suas instituições e pelo seu tratamento", disse.

Marília Arraes lembrou que os doentes mentais não eram chamados por Nise da Silveira de pacientes, mas sim de clientes. "Que vocês  possam cada vez mais ensinar às próximas gerações os valores de humanidade, de solidariedade e de empatia.”

O Prêmio Nise da Silveira foi instituído por uma resolução da Câmara de 2019. Desde então, é concedido anualmente a pessoas físicas ou jurídicas que se destacaram em ações de promoção da saúde mental.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.